Fernando Pessoa

Embora seja uma forma poética popular, a quadrinha também está presente em obras consideradas cultas. Grandes poetas compuseram quadrinhas, dentre eles, Fernando Pessoa, um dos mais consagrados poetas da língua portuguesa.

Vejam só o que Fernando Pessoa disse sobre as quadrinhas:
“A quadra é um vaso de flores que o Povo põe à janela da sua alma”

Leia as quadrinhas de Pessoa:

Quadras ao Gosto Popular

Eu tenho um colar de pérolas
Enviado para te dar:
As pérolas são os meus beijos,
o fio é o meu penar.

A caixa que não tem tampa
Fica sempre destampada.
Dá-me um sorriso dos teus
Porque não quero mais nada.

Não dizes mal de ninguém,
Que de ti é que dizes mal.
Quando dizes mal de alguém
Tudo no mundo é igual.

Atividades:
1 – Leia sobre a vida de Fernando Pessoa:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Fernando_Pessoa

2 – Escreva alguma curiosidade sobre a vida do autor.

3 – Pesquise algum poema dele que você achou interessante e cole aqui:
www.google.com.br

4 – Escreva três quadrinhas, com rimas em pelo menos dois versos em cada estrofe.

Bom trabalho!
Abraços,
Profª Ana Maria

36 Comentários »

  1. Marcelo e Davi & Ana Clara de Ovo Said:

    Marcelo & Davi & Ana Clara de Ovo

  2. ALANDA GLLENDA Said:

    aluna alandagllenda

    2-O Que eu Ache interesantepor POR QUE EU NÃO SABIA QUE FERNANDO PESSOAPPor ter crescido na África do Sul, para onde se mudou aos sete anos em virtude do casamento de sua mãe,

    3-A E O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.

    E os que lêem o que escreve,
    Na dor lida sentem bem,
    Não as duas que ele teve,
    Mas só a que eles não têm.

    E assim nas calhas da roda
    Gira, a entreter a razão,
    Esse comboio de corda
    Que se chama o coração.

    4-UM PEQUENA MENINA QUE PASSIAVA PELO JADIM

    ANDAVA ANDAVA UM DIA A PEQUENA MENINA ACHO UM LINDA

    FLOR ELA SE EMCATOU E SAIU CORREDO CORREDO PARA FALA PARA SUA MAMÃE

    • Ana Maria Said:

      Bom trabalho, Alanda!
      Mas poderia ter caprichado um pouco mais nas quadrinhas, ok?!

      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  3. Rodrigo morais da costa Said:

    PERGUTA .1.
    Fernando António Nogueira Pessoa (Lisboa, 13 de Junho de 1888 — Lisboa, 30 de Novembro de 1935), mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um poeta e escritor português.
    PERGUTA. 2.Fernando António Nogueira Pessoa (Lisboa, 13 de Junho de 1888 — Lisboa, 30 de Novembro de 1935), mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um poeta e escritor português.
    PERGUTA .3.
    Cara Tara, estou numa situação verdadeiramente difícil (a nível financeiro, pessoal ou outra) e esta falta de sorte é um verdadeiro problema para mim.
    Preciso da sua ajuda urgente e gratuita.
    PERGUTA 4.É por isso que lhe peço para realizar, o mais
    depressa possível, um estudo aprofundado
    gratuito do meu caso para favorecer a minha sorte. Nunca Mais Perca seu Horóscopo, Receba o SMS da Capricho no

    • Rodrigo morais da costa Said:

      PERGUTAR.1.
      Fernando António Nogueira Pessoa (Lisboa, 13 de Junho de 1888 — Lisboa, 30 de Novembro de 1935), mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um poeta e escritor português.
      PERGUTA.2.É considerado um dos maiores poetas da Língua Portuguesa, e o seu valor é comparado ao de Camões.
      PERGUTA.3.
      Nascido em Lisboa, no dia 13 de junho de 1888, Fernando Pessoa perdeu o pai aos cinco anos de idade. Em 1896, a família se transfere, levada pelo segundo marido de sua mãe, para a cidade de Durban, na África do Sul. Lá, cursa o secundário, cedo revelando seu pendor para a literatura. Em 1903, ingressa na Universidade do Cabo.

      PERGUTA.4.Era uma vez um peixiho que me sauvo lar no, sera dourada.
      por que estava teno muitas briga eu queria in bora e ele mim sauvo la no fudo do mar.

    • Ana Maria Said:

      Rodrigo,
      mas onde está o seu poema? Você copiou uma coisa que não tem nada a ver.

      valor: 1,0
      nota: 0,5

      Abraços,
      Profª Ana

  4. Marcelo e Davi & Ana Clara Said:

    Marcelo & Davi & Ana Clara

    Fernando António Nogueira Pessoa nasceu em Lisboa, 13 de Junho de 1888 e morreu em Lisboa, 30 de Novembro de 1935.
    mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um poeta e escritor português.
    É considerado um dos maiores poetas da Língua Portuguesa, e o seu valor é comparado ao de Camões. O crítico literário Harold Bloom considerou a sua obra um “legado da língua portuguesa ao mundo.Por ter crescido na África do Sul, para onde se mudou aos sete anos em virtude do casamento de sua mãe, Pessoa foi alfabetizado em Inglês.

    O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.

    poema sque inventamos

    Não é que eu tenha medo de morrer.
    É que eu não quero estar lá
    na hora que isso acontecer
    so se for com vocé.

    Era um menino tão mau
    que só se tornou legal
    era um menino tao bom
    que se tornou bombom.

    estava no escuro
    comtando meu dinheiro
    meu colega chego
    e risco um esquero.

  5. Marcelo e Davi & Ana Clara Said:

    Marcelo & Davi & Ana Clara

    2-Fernando António Nogueira Pessoa nasceu em Lisboa, 13 de Junho de 1888 e morreu em Lisboa, 30 de Novembro de 1935.
    mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um poeta e escritor português.
    É considerado um dos maiores poetas da Língua Portuguesa, e o seu valor é comparado ao de Camões. O crítico literário Harold Bloom considerou a sua obra um “legado da língua portuguesa ao mundo.Por ter crescido na África do Sul, para onde se mudou aos sete anos em virtude do casamento de sua mãe, Pessoa foi alfabetizado em Inglês.

    3-O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.

    4-poema sque inventamos

    Não é que eu tenha medo de morrer.
    É que eu não quero estar lá
    na hora que isso acontecer
    so se for com vocé.

    Era um menino tão mau
    que só se tornou legal
    era um menino tao bom
    que se tornou bombom.

    estava no escuro
    comtando meu dinheiro
    meu colega chego
    e risco um esquero.

    • Ana Maria Said:

      Adorei o trabalho de vocês!
      Parabéns!

      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  6. Bruno e Pedro Said:

    Bruno Henrique de Paula e Castro
    Pedro Henrique Lobos Marques

    2)Eu e meu colega Pedro achamos muito interessante porque no fato dele ser Português ele se alfabetizou na Inglaterra ,e 3 poemas dele ele escreveu em Inglês.

    3) O Amor

    O amor, quando se revela,
    Não se sabe revelar.
    Sabe bem olhar pra ela,
    Mas não lhe sabe falar.

    4) Quando eu Nasci
    Foi a primeira vez que eu te vi
    E te senti
    Bem Aqui

    Quando eu joguei
    Não sabia o que era ganhar
    Quando eu fiz gol
    Eu soube viajar

    Quando eu soltava pipa
    Não sabia muitas coisas
    Mas quando eu tentei voar
    Esqueci que não tenho asas

    • Ana Maria Said:

      Adorei o trabalho de vocês, meninos!
      Parabéns!

      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  7. CARLOS EDUARDO Said:

    Carlos Eduardo

    2 Fernando António Nogueira Pessoa (Lisboa, 13 de Junho de 1888 — Lisboa, 30 de Novembro de 1935), mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um poeta e escritor português.

    É considerado um dos maiores poetas da Língua Portuguesa, e o seu valor é comparado ao de Camões. O crítico literário Harold Bloom considerou a sua obra um “legado da língua portuguesa ao mundo”.[

    3 Poesia Felicidade Fernando Pessoa

    O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.

    4 O que e ser uma pessoa
    E ser prudente
    Ou carregar
    um dente.

    O que é ser uma pessoa legal?
    E sempre estar feliz
    Ou sempre estar
    Mal?

    Ser inteligente e quem
    Estuda
    Quem não estuda
    Se ajuda.

    • Ana Maria Said:

      Kadu,
      adorei o seu trabalho! Parabéns!

      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  8. samuel bernades dos santos Said:

    2- eu achei muito curioso foi ele ser portugues e saber ingles e saber africano ao mesmo tempo
    3 Quero ignorado, e calmo
    Por ignorado, e próprio
    Por calmo, encher meus dias
    De não querer mais deles.
    Aos que a riqueza toca
    O ouro irrita a pele.
    Aos que a fama bafeja
    Embacia-se a vida.
    Aos que a felicidade
    É sol, virá a noite.
    Mas ao que nada espera
    Tudo que vem é grato.

    4- a minha primeira
    namorada era uma desgracada
    so queria dinhero
    evivia no putero.

    quando eu vuar quero chorar
    de alegria pois quero ver a grande
    nuvenzinha.

    estava no aviao e fiquei asustado
    olhei pela zanela
    a pronto
    cade o chão.

    • Ana Maria Said:

      Adorei o seu trabalho, Samuel!
      Parabéns!

      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  9. Gabriel Said:

    PERGUNTA… 2 1888: Fernando António Nogueira Pessoa nasce, em Junho. É batizado em Julho.
    1893: Em Janeiro, nasce seu irmão Jorge. A 13 de Julho, o pai morre, de tuberculose. A família é obrigada a leiloar parte dos bens.
    1894: O irmão de Fernando, Jorge, morre em Janeiro. Pessoa cria o seu primeiro heterônimo. O futuro padrasto, João Miguel Rosa, é nomeado cônsul interino em Durban, na África do Sul.
    1895: Em Julho, Fernando escreve o seu primeiro poema e João Miguel Rosa parte para Durban. Em Dezembro, João Miguel Rosa casa-se com a mãe de Fernando, por procuração.
    1896: Em 7 de Janeiro, é concedido o passaporte à mãe, e a família parte para Durban. A 27 de Novembro, nasce Henriqueta Madalena, irmã do poeta.
    1897: Fernando faz o curso primário e a primeira comunhão em West Street.
    1898: Nasce, a 22 de Outubro, sua segunda irmã, Madalena Henriqueta.
    1899: Ingressa na Durban High School em Abril. Cria o pseudónimo Alexander Search.
    1900: Em Janeiro, nasce o terceiro filho do casal, Luís Miguel. Em Junho, Pessoa passa para a Form III e é premiado em francês.
    1901: Em Junho, é aprovado no exame da Cape School High Examination. Madalena Henriqueta falece e Fernando começa a escrever as primeiras poesias em inglês. Em Agosto, parte com a família para uma visita a Portugal.
    1902: Em Janeiro, nasce, em Lisboa, seu irmão João Maria. Fernando vai à ilha Terceira em Maio. Em Junho, a família retorna a Durban. Em Setembro, Fernando volta sozinho para Durban.
    1903: Submete-se ao exame de admissão à Universidade do Cabo, tirando a melhor nota no ensaio em inglês e ganhando assim o Prémio Rainha Vitória.
    1904: Em Agosto, nasce sua irmã Maria Clara e em Dezembro termina os estudos na África do Sul.
    1905: Parte definitivamente para Lisboa, onde passa a viver com a avó Dionísia. Continua a escrever poemas em inglês.
    1906: Matricula-se, em Outubro, no Curso Superior de Letras. A mãe e o padrasto retornam a Lisboa e Pessoa volta a morar com eles. Falece, em Lisboa, a sua irmã Maria Clara.
    1907: A família retorna uma vez mais a Durban. Pessoa passa a morar com a avó. Desiste do Curso Superior de Letras. Em Agosto, a avó morre. Durante um curto período, Pessoa estabelece uma tipografia.
    1908: Começa a trabalhar como correspondente estrangeiro em escritórios comerciais.
    1910: Escreve poesia e prosa em português, inglês e francês.
    1912: Publica na revista Águia o seu primeiro artigo de crítica literária. Idealiza Ricardo Reis.
    1913: Intensa produção literária. Escreve O Marinheiro.
    1914: Cria os heterônimos Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Alberto Caeiro. Escreve os poemas de O Guardador de Rebanhos e também o Livro do Desassossego.
    1915: Sai em Março o primeiro número de Orpheu. Pessoa “mata” Alberto Caeiro.
    1916: O seu amigo Mário de Sá-Carneiro suicida-se.
    1918: Publica poemas em inglês, resenhados com destaque no “Times”.
    1920: Conhece Ofélia Queiroz. Sua mãe e seus irmãos voltam para Portugal. Em Outubro, atravessa uma grande depressão, que o leva a pensar em internar-se numa casa de saúde. Rompe com Ofélia.
    1921: Funda a editora Olisipo, onde publica poemas em inglês.
    1924: Aparece a revista “Atena”, dirigida por Fernando Pessoa e Ruy Vaz.
    1925: A 17 de Março, morre, em Lisboa, a mãe do poeta.
    1926: Dirige com seu cunhado a “Revista de Comércio e Contabilidade”. Requer patente de uma invenção sua.
    1927: Passa a colaborar com a revista Presença.
    1929: Volta a relacionar-se com Ofélia.
    1931: Rompe novamente com Ofélia.
    1934: Publica Mensagem.
    1935: Em 29 de Novembro, é internado com o diagnóstico de cólica hepática. Morre no dia 30.

    Referências 1888: Fernando António Nogueira Pessoa nasce, em Junho. É batizado em Julho.
    1893: Em Janeiro, nasce seu irmão Jorge. A 13 de Julho, o pai morre, de tuberculose. A família é obrigada a leiloar parte dos bens.
    1894: O irmão de Fernando, Jorge, morre em Janeiro. Pessoa cria o seu primeiro heterônimo. O futuro padrasto, João Miguel Rosa, é nomeado cônsul interino em Durban, na África do Sul.
    1895: Em Julho, Fernando escreve o seu primeiro poema e João Miguel Rosa parte para Durban. Em Dezembro, João Miguel Rosa casa-se com a mãe de Fernando, por procuração.
    1896: Em 7 de Janeiro, é concedido o passaporte à mãe, e a família parte para Durban. A 27 de Novembro, nasce Henriqueta Madalena, irmã do poeta.
    1897: Fernando faz o curso primário e a primeira comunhão em West Street.
    1898: Nasce, a 22 de Outubro, sua segunda irmã, Madalena Henriqueta.
    1899: Ingressa na Durban High School em Abril. Cria o pseudónimo Alexander Search.
    1900: Em Janeiro, nasce o terceiro filho do casal, Luís Miguel. Em Junho, Pessoa passa para a Form III e é premiado em francês.
    1901: Em Junho, é aprovado no exame da Cape School High Examination. Madalena Henriqueta falece e Fernando começa a escrever as primeiras poesias em inglês. Em Agosto, parte com a família para uma visita a Portugal.
    1902: Em Janeiro, nasce, em Lisboa, seu irmão João Maria. Fernando vai à ilha Terceira em Maio. Em Junho, a família retorna a Durban. Em Setembro, Fernando volta sozinho para Durban.
    1903: Submete-se ao exame de admissão à Universidade do Cabo, tirando a melhor nota no ensaio em inglês e ganhando assim o Prémio Rainha Vitória.
    1904: Em Agosto, nasce sua irmã Maria Clara e em Dezembro termina os estudos na África do Sul.
    1905: Parte definitivamente para Lisboa, onde passa a viver com a avó Dionísia. Continua a escrever poemas em inglês.
    1906: Matricula-se, em Outubro, no Curso Superior de Letras. A mãe e o padrasto retornam a Lisboa e Pessoa volta a morar com eles. Falece, em Lisboa, a sua irmã Maria Clara.
    1907: A família retorna uma vez mais a Durban. Pessoa passa a morar com a avó. Desiste do Curso Superior de Letras. Em Agosto, a avó morre. Durante um curto período, Pessoa estabelece uma tipografia.
    1908: Começa a trabalhar como correspondente estrangeiro em escritórios comerciais.
    1910: Escreve poesia e prosa em português, inglês e francês.
    1912: Publica na revista Águia o seu primeiro artigo de crítica literária. Idealiza Ricardo Reis.
    1913: Intensa produção literária. Escreve O Marinheiro.
    1914: Cria os heterônimos Álvaro de Campos, Ricardo Reis e Alberto Caeiro. Escreve os poemas de O Guardador de Rebanhos e também o Livro do Desassossego.
    1915: Sai em Março o primeiro número de Orpheu. Pessoa “mata” Alberto Caeiro.
    1916: O seu amigo Mário de Sá-Carneiro suicida-se.
    1918: Publica poemas em inglês, resenhados com destaque no “Times”.
    1920: Conhece Ofélia Queiroz. Sua mãe e seus irmãos voltam para Portugal. Em Outubro, atravessa uma grande depressão, que o leva a pensar em internar-se numa casa de saúde. Rompe com Ofélia.
    1921: Funda a editora Olisipo, onde publica poemas em inglês.
    1924: Aparece a revista “Atena”, dirigida por Fernando Pessoa e Ruy Vaz.
    1925: A 17 de Março, morre, em Lisboa, a mãe do poeta.
    1926: Dirige com seu cunhado a “Revista de Comércio e Contabilidade”. Requer patente de uma invenção sua.
    1927: Passa a colaborar com a revista Presença.
    1929: Volta a relacionar-se com Ofélia.
    1931: Rompe novamente com Ofélia.
    1934: Publica Mensagem.
    1935: Em 29 de Novembro, é internado com o diagnóstico de

    PERGUNTA..3Olho o Tejo, e de tal arte
    Que me esquece olhar olhando,
    E súbito isto me bate
    De encontro ao devaneando —
    O que é sério, e correr?
    O que é está-lo eu a ver?
    Sinto de repente pouco,
    Vácuo, o momento, o lugar.
    Tudo de repente é oco —
    Mesmo o meu estar a pensar.
    Tudo — eu e o mundo em redor —
    Fica mais que exterior.

    Perde tudo o ser, ficar,
    E do pensar se me some.
    Fico sem poder ligar
    Ser, idéia, alma de nome
    A mim, à terra e aos céus…

    E súbito encontro Deus.

    Fernando Pessoa

    PERGUNTA…4
    VAI TOMA NO CÚ DESGRAÇA SEM NOÇÃO FUMEI UM BASEADO E VIAGEI PARA O JAPÃO

    • Ana Maria Said:

      Gabriel,
      não vou considerar a sua resposta. Essa é uma atividade séria e eu não permito esse tipo de coisa aqui no nosso blog.

      Profª Ana Maria

  10. THAMARA Said:

    2 As suas infância e adolescência foram marcadas por factos que o influenciariam posteriormente. Às cinco horas da manhã de 24 de Julho 2 As suas infância e adolescência foram marcadas por factos que o influenciariam posteriormente. Às cinco horas da manhã de 24 de Julho de 1893, o pai morreu, com 43 anos, vítima de tuberc0ulose.

    3 – Quero ignorado, e calmo
    Por ignorado, e próprio
    Por calmo, encher meus dias
    De não querer mais deles.
    Aos que a riqueza toca
    O ouro irrita a pele.
    Aos que a fama bafeja
    Embacia-se a vida.
    Aos que a felicidade
    É sol, virá a noite.
    Mas ao que nada espera
    Tudo que vem é grato.
    Fernando Pessoa

    4 – A PESSOA
    A PESSOA E MUITO INTERLIGENTE
    UMS PESSOAS SÃO MUITO ARRUGANTE
    AS PESSOAS E ESPECIAL
    AS PESSOAS E MUITO ESPERTA

    O RICO COME
    CAMARÃO
    O POBRE COME
    FEIJÃO

    O RICO COME
    REQUEIJÃO
    O POBRE COME
    QUEIJÃO
    THAMARA de 1893, o pai morreu, com 43 anos, vítima de tuberc0ulose.

    3 – Quero ignorado, e calmo
    Por ignorado, e próprio
    Por calmo, encher meus dias
    De não querer mais deles.
    Aos que a riqueza toca
    O ouro irrita a pele.
    Aos que a fama bafeja
    Embacia-se a vida.
    Aos que a felicidade
    É sol, virá a noite.
    Mas ao que nada espera
    Tudo que vem é grato.
    Fernando Pessoa

    4 – A PESSOA
    A PESSOA E MUITO INTERLIGENTE
    UMS PESSOAS SÃO MUITO ARRUGANTE
    AS PESSOAS E ESPECIAL
    AS PESSOAS E MUITO ESPERTA

    O RICO COME
    CAMARÃO
    O POBRE COME
    FEIJÃO

    O RICO COME
    REQUEIJÃO
    O POBRE COME
    QUEIJÃO
    THAMARA

    • Ana Maria Said:

      Adorei o seu trabalho, Thamara!
      Parabéns!

      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  11. rayllane araujo ferreira Said:

    1- sim eu ja li o texto 2-O que eu achei mas enteresante foi porque Fernanda Pessoa aos 7 anos de idade foi marar na África do Sul e foi alfabetizado em inglês. 3-O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.

    E os que lêem o que escreve,
    Na dor lida sentem bem,
    Não as duas que ele teve,
    Mas só a que eles não têm.

    E assim nas calhas da roda
    Gira, a entreter a razão,
    Esse comboio de corda
    Que se chama o coração.
    Fernando Pessoa

    • Ana Maria Said:

      Faltou o seu poema, Rayllane!

      valor: 1,0
      nota: 0,5

      Abraços,
      Profª Ana

  12. tiffany e karolaine Said:

    Alunas:Tiffany e Karolaine.

    1-pesquisei

    2-
    Retrato de Fernando Pessoa em 1914
    Nascimento 13 de Junho de 1888
    Lisboa
    Morte 30 de Novembro de 1935 (com 47 aSexta-feira, Abril 27, 2007
    O Amor (Fernando Pessoa)
    O Amor

    O amor, quando se revela,
    Não se sabe revelar.
    Sabe bem olhar p’ra ela,
    Mas não lhe sabe falar.
    nos de cólica hepática)
    Lisboa.

    3-Sexta-feira, Abril 27, 2007
    O Amor (Fernando Pessoa)
    O Amor

    O amor, quando se revela,
    Não se sabe revelar.
    Sabe bem olhar p’ra ela,
    Mas não lhe sabe falar.

    4- o poema
    e um
    tedio
    sem remedio.

    o amor
    e uma
    dor e
    um predio
    sem remedio..

    sabe o que esta
    escrito na sua mao
    e o dente
    do gaviao…

    • Ana Maria Said:

      Excelente trabalho, meninas!
      Parabéns!

      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  13. Leonardo Said:

    Leonardo
    2-Fernado de pessoa morreu com 47 anos.
    3-A luz brilha e ilumina o nosso caminho,
    Trazendo calor, sua sutileza nos satisfaz…
    Onde ela chega, preenche todo o vazio,
    Luz é amor, que produz vida e paz.

    4-eu estava em casa
    e minha mãe disse:
    vai
    para casa.

    o tatu cavou tanto
    quando saiu
    para respirar
    ja estava no espanto.

    um dia um cachorro foi
    para igreja e o padre
    não deixou ele entra
    por que ele e cachorro.

    • Ana Maria Said:

      Bom trabalho, Leonardo!
      Parabéns pelo esforço! Você melhorou muito!

      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  14. Sérgio
    2.O Sensacionalismo começou com a amizade entre Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro. Provavelmente é difícil destrinçar a parte de cada um na origem do movimento e, com certeza, absolutamente inútil determiná-lo. O facto é que ambos lhe deram início.

    3.O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.
    Fernando Pessoa

    4 . bandido pobre rouba panela
    bandido rico rouba penelão.
    essa e a rima do sergião
    si ligo irmão

    arroz, ninguém vive de arroz
    vive de feijão também
    sabe pra que?
    para melhorar a voz.

    nasci feliz
    sou feliz
    sempre serei feliz
    tão bom ser feliz!

    • Ana Maria Said:

      Sérgio,
      adooooreeei seu trabalho!
      Parabéns! Continue se esforçando assim!

      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  15. ALANDA GLLENDA Said:

    ALANDA GLLENDA

    4-ERA UM VEZ UMA LINDA FLOR

    QUE NIGUEM SABIA QUE ERA UM FLOR

    ATE UM DIA ELA SE EMCATOU

    MAIS NÃO SABIA QUE ERA AMO

    ERA UMA VEZ VEZ UMA BELA MENINA

    QUE NÃO SABIA AMO

    ATE UM DIA ELA SE EMCATOU

    E SETIU AMOR

    • Ana Maria Said:

      Bom trabalho, Alanda!
      Completou a nota anterior!

  16. rayllane araujo ferreira Said:

    1- sim eu ja li o texto 2-O que eu achei mas enteresante foi porque Fernanda Pessoa aos 7 anos de idade foi marar na África do Sul e foi alfabetizado em inglês. 3-O poeta é um fingidor.
    Finge tão completamente
    Que chega a fingir que é dor
    A dor que deveras sente.

    E os que lêem o que escreve,
    Na dor lida sentem bem,
    Não as duas que ele teve,
    Mas só a que eles não têm.

    E assim nas calhas da roda
    Gira, a entreter a razão,
    Esse comboio de corda
    Que se chama o coração.
    Fernando Pessoa

    4-um casal de crianças em uma praia deserta
    choram tanto que se derretem
    que nem meleca
    eles se abraçam brincam e dizem: _somos namorados 5 anos depois eles se beijam
    forman filhos e dizem:
    _somos casados. rayllane araujo ferreira.

    • Ana Maria Said:

      Bom trabalho, Rayllane!
      Parabéns!

      Completou sua nota, agora.
      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  17. Iasmin, Ana Clara Lopes e Karoline Said:

    FERNANDO DE PESSOA
    2-Fernando Pessoa trabalhava como correspondente comercial, num sistema que hoje denominamos free lancer. Assim, podia trabalhar apenas dois dias por semana, dedicando os demais, exclusivamente, à sua grande paixão: a literatura.
    3-A morte chega cedo

    A morte chega cedo,
    Pois breve é toda vida
    O instante é o arremedo
    De uma coisa perdida.
    O amor foi começado,
    O ideal não acabou,
    E quem tenha alcançado
    Não sabe o que alcançou.

    E tudo isto a morte
    Risca por não estar certo
    No caderno da sorte
    Que Deus deixou aberto
    fernando de pessoa

    4- meu coração estar na poesia
    o teu no mudo sem poesia
    mas se você esta no mundo eu estou no seu coração…

    • Ana Maria Said:

      Parabéns, meninas,
      excelente trabalho!

      valor: 1,0
      nota: 1,0

      Abraços,
      Profª Ana

  18. Hiago Said:

    Hyago
    2] Fernando Pessoa morreu de cirrose hepática aos 47 anos, na cidade onde nasceu. Sua última frase foi escrita em Inglês: “I know not what tomorrow will bring… ” (“Não sei o que o amanhã trará”).
    3Hyago
    2] Fernando Pessoa morreu de cirrose hepática aos 47 anos, na cidade onde nasceu. Sua última frase foi escrita em Inglês: “I know not what tomorrow will bring… ” (“Não sei o que o amanhã trará”).
    3]Temos, todos que vivemos
    Uma vida que é vivida
    E outra vida que é pensada
    E a única vida que temos
    É essa que é dividida
    Entre a verdadeira e a errada

    4] Fazia castelos na areia
    quando encontrei no chão
    a moedinha da sorte
    que apertei bem na mão

    Assim feliz sai gritando
    quiz tantas coisas comprar
    e lá na areia deitei
    somente para pensar

    Alí mesmo eu dormí
    e em meu sonho encontrei
    mais moedinhas douradas
    em todo canto que andei]Temos, todos que vivemos
    Uma vida que é vivida
    E outra vida que é pensada
    E a única vida que temos
    É essa que é dividida
    Entre a verdadeira e a errada

    4] Fazia castelos na areia
    quando encontrei no chão
    a moedinha da sorte
    que apertei bem na mão

    Assim feliz sai gritando
    quiz tantas coisas comprar
    e lá na areia deitei
    somente para pensar

    Alí mesmo eu dormí
    e em meu sonho encontrei
    mais moedinhas douradas
    em todo canto que andei

    • Ana Maria Said:

      Hyago,
      a atividade do número 4 era pra sair da “sua cabecinha”, ok?!

      valor: 1,0
      nota: 0,5

      Abraços,
      Profª Ana

  19. daniel carlos Said:

    daniel

    1-ja lir.
    2-Fernando António Nogueira Pessoa (Lisboa, 13 de Junho de 1888 — Lisboa, 30 de Novembro de 1935), mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um poeta e escritor português.
    3-Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo.
    4-Quero para mim o espírito desta frase.
    transformada a forma para a casar com o que eu sou.
    Viver não é necessário; o que é necessário é criar.


{ RSS feed for comments on this post} · { TrackBack URI }

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: